Peças para caminhões

11 DICAS PARA A MANUTENÇÃO DO PNEU DE CAMINHÃO

Seja o diretor de uma empresa de grande porte com vários caminhões na frota, seja um autônomo que faz alguns fretes, todos gostam de economizar. Um caminhão é um investimento que requer cuidados para alongar sua vida útil, não é mesmo? E, quando o assunto é pneu para caminhão, por exemplo, é importante ficar de olho.

Manter a boa condição dos pneus é uma atitude pouco valorizada, mas que pode fazer muita diferença no bolso e no desempenho do veículo.

Os caminhões carregam toneladas de diversos tipos de cargas, enfrentam frio e calor trafegando por estradas das mais variadas e nem sempre na melhor das condições. Os pneus, por sua vez, estão em contato direto com todas essas situações, caindo em buracos, se molhando e sustentando todo o peso.

A seguir, vamos explorar 11 dicas de manutenção para mantê-los em ótimas condições. Para saber mais, continue lendo o texto!

1. ANDE DENTRO DA LEI

Se você já tem alguma noção de como lidar com pneus de carros de tamanho padrão, potencialize os cuidados considerando o tamanho de um pneu de caminhão. Mesmo para quem não tem ideia de como começar, é a atenção diária e algumas simples medidas que darão maior vida útil e segurança aos seus pneus.

Lembre-se, portanto, de que existe um limite máximo de desgaste que os pneus podem ter para que o caminhão continue rodando sem o risco de ser apreendido. Conhecer o funcionamento das normas do trânsito e respeitá-las adequadamente é um requisito essencial para ser um bom caminhoneiro.

Segundo a resolução do CONTRAN n.º 558/80 (Conselho Nacional de Trânsito), os sulcos dos pneus não podem ser menores que 1,6 mm de profundidade. Fique esperto, pois isso é uma questão legal. Todo pneu abaixo desse limite é considerado careca e sem as condições ideias, oferecendo riscos a você e àqueles que cruzam o seu caminho.

Mesmo para aqueles que são mais descuidados, respeitar essa lei é um fundamento mínimo. Afinal, ela pode salvar as vidas de muitas pessoas.

2. CONTROLE O USO

Todo e qualquer pneu está suscetível aos mais diversos tipos de solo — asfalto da zona urbana, rodovias, estradas de terra —, e isso inclui os pneus de caminhão. As irregularidades podem afetar o tempo de vida dos pneus; é uma imprevisibilidade que todos devem saber lidar.

Se você prefere investir em caminhões usados, por exemplo, é preciso ficar bastante atento a esse aspecto. Olhá-lo com o devido cuidado permite analisar melhor o real estado do veículo que você pretende comprar ou vender.

Por isso, é importante ter um registro relacionado à frequência de utilização em terrenos impróprios. Verificar os possíveis danos o quanto antes pode ser decisivo. Aos poucos, isso ajudará você a fazer um maior controle do estado das borrachas, evitando surpresas desagradáveis no futuro.

No entanto, uma direção defensiva também é muito eficiente e trará benefícios no consumo de borracha ao longo prazo. Freadas, aceleradas e curvas feitas de forma conservadora pesam positivamente no orçamento e no tempo de uso dos pneus.

Ou seja, você não só dirigirá com mais segurança, mas também precisará gastar menos com os reparos. Dessa forma, é possível ganhar dois benefícios com apenas uma ação!

3. SAIBA A HORA DE TROCAR O PNEU PARA CAMINHÃO

Geralmente, alguns fatores são recorrentes e influenciam diretamente na durabilidade do pneu de caminhão:

  • o tipo de estrada percorrido com maior frequência;
  • o clima que se enfrenta com recorrência;
  • a calibragem adequada dos pneus — tarefa obrigatória numa boa manutenção;
  • o peso total das cargas.

Tendo essas informações alinhadas com o motorista, é muito mais simples controlar o desgaste dos pneus, já que é viável encontrar soluções para lidar com cada um desses fatores.

Normalmente, é possível perceber a hora de trocar os pneus visualmente. Os sinais de desgaste de veículos desse porte são evidentes. O principal deles é a deterioração dos sulcos, que são as frestas que garantem a boa aderência dos pneus ao solo. Caso estejam excessivamente gastas, é porque chegou o momento de trocá-los.

4. USE O TWI

A utilização do indicador TWI (Tread Wear Indicator) é essencial em muitos momentos. Ter uns mais desgastados do que outros é algo absolutamente normal. Porém, conferir as condições apresentadas é mais do que necessário, ainda mais para quem lida com cargas perigosas constantemente.

Para fazer a conferência é simples: localize o indicador da sigla TWI ou um símbolo de triângulo na lateral do pneu. Abaixo de 1,6 mm, significa que está na hora de aposentá-lo. É claro que rasgos aparentes, bolhas e perfurações são sinais de falta de cuidado. Sendo assim, eles significam a necessidade de realizar uma troca precoce, mesmo quando o indicador de TWI está adequado.

É uma medida preventiva gratuita, cuja eficácia chega até a impressionar, tamanha a sua facilidade de execução. Por isso, ela não pode ser deixada de lado, ok?

5. LEVE LIÇÕES DO CARRO PARA O CAMINHÃO

A experiência acumulada como motorista de automóveis também pode ser bastante útil em relação aos “pesadões”.

Afinal, aqueles procedimentos periódicos para o carro também se aplicam aos caminhões. São gestos auxiliares na hora de economizar com os pneus e, ainda, dão uma ajuda que vale para o caminhão com um todo:

  • respeite os prazos de revisão;
  • mantenha em dia o alinhamento;
  • fique de olho no balanceamento;
  • cuide dos elementos internos, como o motor e outros componentes.

Esses aspectos, por mais simples que possam parecer, atuam na prevenção em relação a um desgaste mais acentuado dos pneus. Por isso, após rodar algo em torno de 10 mil quilômetros, é interessante fazer esses procedimentos “de rotina”. Vibrações e ruídos incomuns também são indicativos relevantes. Caso contrário:

  • você pode ficar sem estabilidade no volante;
  • o caminhão tende a perder tração e ficar instável;
  • diversos componentes mecânicos e as rodas podem ser prejudicados.

Veículos pesados não são para qualquer um! Portanto, redobre o seu cuidado com eles. Improvisar ou dar um jeitinho na hora do reparo pensando em economizar um pouco é um grande erro. Pense em longo prazo, seu bem-estar e o seu bolso agradecerão. Duvida? Basta botar na ponta do lápis um eventual gasto com acidentes.